... ... ... Acontece-me muitas vezes pisar a calçada e olhar para o chão, caminhando, pensando. Adoro perder-me no tempo. ... As cegonhas regressaram e com elas, parece renascer a Primavera. Para mim faz toda a diferença!

Os vizinhos

Os vizinhos Os vizinhos Os vizinhos De norte a sul do país, a noção de vizinhança ganha formas diferentes e mesmo se nos dias de hoje há uma tendência para uma uniformidade da palavra, temos a rica sorte de ter bons vizinhos. Estou ladeada de casas. A da direita é compartilhada por 3 irmãos, uma casa de férias em suma. A Dona Augusta e o Sr. Vitorino abriram-me a porta sobre este pequeno universo, simples, acolhedor. Sentados nos degraus da cozinha, trocam-se palavras duma vida que não fora tão fácil. A casa da esquerda é duma senhora sem idade, com histórias por contar. Uma mulher alegre com um coração cansado. Bi Júlia entrou na nossa vida, também pela mão das nossas filhas. Na gaveta das recordações, tirou de lá um caderno e clamou estes versos: Read More

Sou

Sou No dia dos meus anos, estávamos em viagem. Houve um piquenique e não faltou o bolo. Ao longo do dia fui recebendo prendas e mais prendas (não julguem que foram assaltar as lojas... uma flor, uma pedrinha, um desenho, umas palavras, um beijo, um sorriso para mim são as mais lindas prendas que jamais poderia receber). Partilho hoje uma das prendas dada pela M. porque também sou mãe. Para a melhor mãe de Portugal, da Europa, deste planeta e até mesmo do Universo. Dizes que és feia e só vês gordura, Eu digo que és linda e só vejo formosura. Dizes que a tua cara é velha e rugosa, Eu só vejo que ela é macia e carinhosa. Dizes que o teu cabelo não tem volume e não tem postura, Eu digo que é lindo cabelo de uma famosa escultura. "Estas unhas dos pés são esquisitas" dizia ela, Pois eu digo que são as unhas duma cinderela. Dizes que as tuas mãos só mostram veias, a pele manchada e feia, Pois eu agora digo que as veias são de ouro, talvez lá dentro circule um tesouro. Dizes que é horrível ter muito peito, Pois digo-te eu que durante meses foi o melhor leito. Dizes que a tua barriga é um pneu, Agora é a minha vez de te relembrar que foi dessa barriga perfeita que a tua primeira filha nasceu.

Clouds



On this month everything is cold.
On this place everything is old.
So, now only we are in the blue sky
and I say:"we can try".
But very far away
a voice like you tell me stories.
Today, is a good day.
I have dreams between memories.
And on final day I see one cloud
and listen the loud
music on the city. On this night
I look for the light
planet where we love beautiful clouds.

Matilde, 11 anos.

A Visita de Estudo

Robert Sabuda

O Porto fomos visitar
vendo o nosso lindo mar.

Alice no País das Maravilhas no Teatro Rivoli.
E este poema escrevi só a pensar em ti,
encaramos a história como um sonho,
que Alice sonhou, um sonho louco.

Logo me vejo
a fazer novos amigos
é um lindo desejo.

O Parque da Cidade
junto de seguido o Pavilhão da Água
e foi uma mágoa ver tanta poluição
até me parte o coração.
Experiências fizemos
que nos fizeram querer que a vida não tem sabor sem água.

De regresso viemos na bruma
do autocarro cheio de bom humor.
A caminho de casa fomos jantar ao Palácio do Gelo (Viseu)
e chegamos a ver o repleto sol do fim do dia.

Para a Mãe, comprei um colar
tinha a certeza que ela ia adorar.
Uma pulseira para mim
de três estrelas que cheira a jasmim.

Que dia delicioso,
o teatro foi fabuloso!


Matilde, 10 anos

A Rosa Azul



Um dia fui ao meu jardim
E colhi um alecrim
Cheirava bem
Que dei a minha mãe.

Um dia fui ao meu jardim
E colhi uma rosa
Mesmo espantosa.

Um dia fui ao meu jardim
E colhi um girasol
Que seguia sempre o sol.

Um dia fui ao meu jardim
E colhi um malmequer
Que ele bem me quer.

Um dia fui ao meu jardim
E colhi uma túlipa
E vi um senhor fumar na pipa.


Clotilde, 8 anos.