“Ronrom”

"Ronrom" "Ronrom" "Ronrom" Achei que para apresentar o meu novo projecto, tinha de ir até ao Mercado Crafts & Design em Lisboa. Tive razão. A recepção foi extraordinária. Apesar da chuva no sábado (já agora aproveito aqui para agradecer o empréstimo da tenda da Joana e do Paulo da handcolor porque sem ela não poderia ter estado presente) vieram, e tanto nesse dia como no domingo, os amigos e curiosos apareceram para me visitar e conhecer, apreciar e aplaudir o produto. Em Dezembro regressarei a Lisboa, mas até lá, vou voltar a lavar a lã, carmea-la, carda-la, feltra-la e apisoa-la para dar forma a novos abrigos "Ronrom". O trabalho é demorado, feito com muita paciência mas compensador. Os gatos adoram a lã. É uma peça muito bonita que fica bem em qualquer casa. Há mais aqui!

O Cró da Osga

O cró da osga Posso jurar, li algures no livro Dobra - Poesia Reunida de Adília Lopes que a osga faz cró. Mas agora que procuro o som da osga, não encontro a página. Nunca tive tempo para as osgas. Porém, vendo agora uma no tecto arranjarei tempo para procurar no livro da Adília o grito da osga porque, como ela apontou é parecido com o ruído do computador a engolir a disquete. Não sabia que a osga grita. Não sei se alguma vez, alguma gritou ao pé de mim porque não me lembro de tapar os ouvidos ou ficar perturbada. Mas é verdade, nunca tive tempo para as osgas. Dobra - Poesia Reunida de Adília Lopes Assírio & Alvim

Lusco-fusco

Lusco-fusco Lusco-fusco Lusco-fusco Nem sempre é fácil sair da nossa zona de conforto em dias de Inverno, sobretudo em final de dia quando há rotinas estabelecidas como pôr a salamandra a funcionar para aquecer a casa, tornar o espaço acolhedor, dando a ideia que lá fora, tudo se tornaria hostil com o cair da luminosidade e o frio que envolve o ar e a terra. Contrariei esta rotina por um dia. Fui ao encontro da equipa do ICNF do Parque Natural do Vale do Guadiana para fazer a contagem dos grous. A contagem é feita quando os bandos de grous voam para o seu dormitório. O dormitório são as margens duma barragem. Dormem com as patas dentro da água porque a água é como um alarme, previne a aproximação de qualquer predador. Numa zona alta ainda pude ver as garças e os corvos marinhos. No imenso horizonte, o sol parecia cair a um ritmo alucinante. Os corvos, em bandos, sobrevoaram as águas para tomar voo e desapareceram. O sol escondeu-se. Irrompeu o silêncio. E de repente, antes de poder vê-los, ouvi os chamamentos. Ordenados, em voo lento e elegante, circundaram as águas para pousar. É um dos espectáculos mais bonitos de observar e ouvir nesta altura do ano. No lusco-fusco, a equipa contou 602 grous.

Profissão: tosquiador

Profissão: tosquiador Profissão: tosquiador Profissão: tosquiador Profissão: tosquiador Profissão: tosquiador Profissão: tosquiador Na América do Sul, tosquiam de Agosto até Dezembro. De Março até Junho, correm a Península Ibérica. Os 6 uruguaios, tosquiadores profissionais, tiveram há dias, num monte alentejano para tosquiar, entre outros, as churras algarvias, raça autóctone em via de extinção. Um homem faz uma média de 15 ovelhas por hora, com uma calma que me surpreendeu. Os tosquiadores vieram pela mão da Acos. A venda da lã remunera o trabalho deles.

Outono é…

Outono é... Outono é... Outono é... Outono é quando sinto pequenas alterações climatéricas que fazem com que tenha de olhar para dentro das gavetas e armários da miudagem. Dou uma olhadela para a roupa do Outono passado. Vejo o que serve ou não, ponho de parte aquilo que definitivamente não será mais usado. A esta triagem, dou ainda uma segunda olhada. Embalo a roupa que servirá para outras crianças. Restam-me roupas velhas. Arranco os botões, recorto os tecidos, desfaço as calças. Em suma, reaproveito. Depois dá-me para fazer almofadas de chão ou almofadas para o cão! Outono é...