Alegria em forma de sabão

Alegria em forma de sabão Alegria em forma de sabão Da nossa pequena produção de azeite Valle da Velha (referenciada na última edição da Epicur), há sobras das colheitas mais antigas. O azeite continua muito bom mas vai naturalmente envelhecendo, e por isso procurei durante algum tempo uma forma de poder rentabilizar o que ficou no fundo das cubicas. Em casa duma amiga descobri um livro repleto de receitas caseiras de sabões... Juntas deitámos mão à obra. O processo foi demorado, uma vez que tudo o que é bom leva tempo. Fizemos 3 preparados diferentes, tendo todos por base o azeite. O primeiro simples, o segundo com aveia e o terceiro com óleos essenciais de Esteva. Ontem, após uns longos 40 dias a secar pude finalmente dar uso aos sabões. Pensar que encontrei uma solução a eventuais desperdícios de azeite, além de saber o que finalmente aplico na pele, é sem dúvida um pequeno triunfo que me dá muito prazer. Para consumo caseiro e para partilhar com os amigos!