O que fica no deserto

O que fica no deserto O que fica no deserto Tu e eu. Também havia os outros mas o que importava mesmo, era tu e eu. O fim da tarde no cimo da duna, o silêncio, a luz, a areia entre as tuas mãos, o horizonte, a meditação e houve a noite em que tu e eu nos deitamos. Querias o calor das mantas (a J. e o pai preferiram dormir ao relento), querias o meu abraço, querias o desabafo e vieram as lágrimas. Não me lembro se adormeci mas sei que o dia acordou. O que fica no deserto, fica no deserto.

Na terra dos Berbères

Na terra dos berbères Na terra dos berbères Na terra dos berbères Foram 7 anos desde a última vez que fomos para Marrocos. Era, por hábito, o nosso destino durante as férias da Páscoa. Nos, aqui tão perto, fomos atravessar o estreito de Gibraltar para matar a imensa saudade dum pais e da sua gente que sempre nos receberam duma forma hospitaleira. Foi preciso voltar aos lugares da infância das miúdas para encher o coração de novas memórias e seguir por novos caminhos para abraçar novos amigos.