Azeite, do olival para a sua mesa

Azeite, do olival para a sua mesa Um pequeno projecto familiar está em gestação propondo o nosso azeite directamente do olival para a sua mesa. O processo em si é muito demorado e a escolha da imagem do produto final ainda não tem consenso. Para remediar a vários pedidos e querendo alargar a uma comunidade interessada, propomos para estas Festas de Fim de Ano uma garrafa de 75 cl, reciclada, engarrafada, selada e etiquetada manualmente em casa pelas nossas mãos e, à semelhança do que temos feito, propomos rótulos personalizados, se assim o entenderem ou genéricos, referentes ao azeite. O azeite é proveniente exclusivamente de azeitonas nobres “galegas”, produção artesanal e tradicional, sem qualquer tratamento químico ou fito-sanitário, com uma acidez de cerca de 0,3%, oriundo do nosso olival da Beira Alta. Pode ler mais sobre a nossa apanha da azeitona dos anos de 2010, O Azeite e de 2011, A Colheita das Azeitonas. Para qualquer informação suplementar, envie-me um email (xuxudidi arroba gmail ponto com). . Olive oil, straight from the olive groves to your dinner table A small family project is currently being developed, offering you our olive oil directly from the olive grove to your dinner table. The process itself is very time-consuming and we haven’t reached consensus, yet, in what regards the choice of the image of the final product. To meet the various orders and aiming at extending the project to an interested community , we propose for the coming Christmas and New Year festivities a 75 cl recycled , bottled , home-sealed and hand-labelled bottle. Similarly to what we have been doing , we offer either customised labels , should customers wish it, or generic ones. Our olive oil originates exclusively in a noble " Galician " , artisanal and traditional production , no chemical or phito- health treatment having been used, bearing an acidity of roughly 0.3 % , and grown in our own olive grove production in the region of Beira Alta. You can read further about our olive harvest of the year 2010 at "Olive Oil" and of 2011 at "The Olive Harvest" . For any additional information , email me to xuxudidi at gmail point com . L'huile d’olive, de l’olivier à votre table Un projet familial est en gestation en vue de proposer notre huile d’olive directement de l’olivier à votre table. Le processus en soi est assez long et le choix de l’image du produit final n’a pas encore trouvé de consensus parmi nous. Pour faire face à plusieurs demandes de nos amis, tout en voulant élargir à une communauté intéressée par notre huile d’olive, nous vous proposons, notamment pour les Fêtes de Fin d’Année, une bouteille de 75 cl, recyclée, embouteillée, scellée et étiquetée manuellement chez nous par nos propres mains et, telle comme nous l’avons déjà fait auparavant, nous vous proposons une étiquette à votre nom ou de celui du destinataire, si tel est votre désir ou une étiquette généraliste tout en se référant aux caractéristiques de notre huile d’olive. Cette huile d’olive provient exclusivement d’olives nobles dites “galegas”, d’une production artisanale et traditionnelle, sans aucun produit chimique ou phytosanitaire direct, avec une acidité de 0,3%, provenant de nos olives de la région centre Beira Alta. Vous pouvez en savoir d’avantage sur notre huile d’olive en lisant “O Azeite” de 2010 et “A Colheita das Azeitonas” de 2011 . Pour d’autres informations supplémentaires, envoyez-moi un email (xuxudidi arobase gmail point com). Read More

Vai ela e vou eu

Transformar Vai ela e vou eu Ela tem ideias que nem sempre vão de encontro com as minhas, como por exemplo transformar este blusão em algo de mais personalizado. A minha criatividade entra em colapso e pergunto-me se não seria melhor entregar-lhe a peça, auxiliando-a para que ela possa realizar o que idealizou. É já amanhã. Teimou durante meses. Tem vindo a contar as semanas, os dias. Adora este grupo. Vai ela e vou eu!

Das sobras para umas riscas

Das sobras para umas riscas Das sobras para umas riscas Fui acumulando ao longo dos anos, as sobras de lã das meias tricotadas. Como o lema cá em casa é "reaproveitar, nada se deita fora", vou com as sobras fazer novos pares de meias, porque são sempre precisas e bem vindas (sobretudo com o frio que faz!). Inspirei-me nestas meias de riscas e sinceramente, espero ter lã que chega para tricotar o meu par, senão... terei de puxar pela cabeça para ter novas ideias.

Nunca lá chegarei !

Urdir A trança A trança São precisos muitos anos de aprendizagem para saber tecer. Sei que já não vou a tempo porque daqui a uns 10 anos já não terei idade para estar sentada na burra. Entre ontem e hoje, vi primeiro urdir para em seguida se fazer a cruz, depois a trança, finalmente compor a teia e enrolá-la. Não me canso de ver as mãos laborando. Também se aprende vendo!

Do almoço para o jantar

A massa da pizza A sopa de espinafre A sobremesa Enquanto a massa da pizza levedava, preparei a sobremesa. Desgranei em poucos minutos as romãs (uso este método) e fiz uma sopa de espinafres. A pizza estava no forno, servindo a sopa quando uns amigos bateram à porta desafiando um almoço fora de casa. O almoço passou para o jantar!