Granta e Eu

Granta e Eu

Quando regressar deste longo Verão, vou colocar um anuncio no jornal “Anagnosta oferece-se” mas duvido que muitas pessoas saibam o que significa realmente a palavra.
De qualquer forma vou fazê-lo, não no jornal local porque não existe, mas no jornal da região, tão vasta seja ela que alguém há-de ler o anuncio.
Talvez a pessoa que responder seja como eu, apreciadora de literatura e que com ela possa partilhar a minha paixão por certos escritores cujas palavras, a letra são a minha emoção, a fantasia da mente, o portal para outras viagens, um outro mundo, o meu mundo.

Granta foi a revista que não esperava. Uma grande surpresa portanto.
Descobrir na primeira pessoa alguns autores cuja obra já tinha lido e outros tantos que desconhecia, fez-me correr à única livraria da pequena cidade onde momentaneamente respiro os primeiros dias deste verão, sem horários para nada, a não ser para saciar a minha avidez de leitura.

Trouxe os únicos dois autores disponíveis nas estantes, Afonso Cruz e Orhan Pamuk.
Quando cruzar outras livrarias ao longo do asfalto, espero encontrar outros tantos e ao longo do ano ver obras traduzidas como é o caso da Rachel Cusk.

8 comments on “Granta e Eu

    1. mamanxuxudidi

      Prefiro uma outra definição que a do Priberam.

      n.m. escravo que, durante os banquetes, na Grécia e em Roma, lia em voz alta para os convivas
      (A etimologia da palavra vem do grego “anagnóstes” que significa “leitor”, do latim “anagnoste”)

      Reply
    1. mamanxuxudidi

      Gostei muito do que li dele e recomendo. Um dos textos do Exame Nacional do 6º Ano de Língua Portuguesa foi justamente um trecho extraído da obra “Os livros que devoraram o meu pai – A estranha e mágica história de Vivaldo Bonfim”. Beijinhos:)

      Reply
  1. Ana Pedrosa

    Para boas leituras recomendo o escritor Phiilippe Claudel (“Almas cinzentas, por ex.) e a portuguesa Susana Marques, que editou há pouco o belíssimo livro, “Agora e na hora da nossa morte”. Não são livros de verão (no sentido de serem leves) mas são muito, muito bons.

    Reply
  2. Karola

    Li Neve do Pamuk, gostei tanto. mas fiquei curiosa com esse Afonso Cruz. A biblioteca pubica aqui da minha cidade é muito bem recheada, um lugar delicioso.

    Reply

Deixar uma resposta