A Festa da Transumância

Prova de contacto Andava eu a organizar os meus rolos, agora revelados, pronta a passar o dia enfiada na câmara escura, quando deparei com um negativo tirado há precisamente 2 anos, na ida à transumância. Este ano Seia está em Festa. Com "o objectivo de preservar e dignificar a actividade pastorícia e a transumância ainda tão enraizada na comunidade pastoril do território de Seia", ainda será possível seguir os pastores que subirão a Serra da Estrela, no dia 29, com o objectivo de dar a conhecer uma das mais simbólicas actividades do pastoreio. Os rebanhos estarão concentrados no largo da Câmara pelas 8h, indo subindo até ao Sabugueiro. A inscrição para a Festa da Transumância faz-se aqui!

Tempo para agradecer II

Tempo para agradecer II Tempo para agradecer II Amigos dos meus amigos, meus amigos serão? Não posso dizer que conheço a Madalena mas fico comovida quando acabo por saber que das suas andanças nas feiras de velharias, descobre o que ando à procura e faz-me repetidas vezes a surpresa de me oferecer os pratos que tento juntar para criar um pseudo-serviço. Tentar agradecer quem e de quem não sei nada, não é tarefa fácil. No entanto, uma pega feita pelas minhas mãos e uns copinhos encontrados na mercearia que faz muitas vezes a vez duma feira de velharia, é apenas um singelo agradecimento. Bem hajas Madalena!

O taleigo do “Santo” António

O taleigo do "Santo" António O taleigo do "Santo" António É o primeiro taleigo "masculino" que eu faço. Na verdade nunca tinha pensado na questão do sexo na utilização dos tecidos, mas hoje, acordei convicta que o "nosso" António estava a precisar dum novo taleigo porque é homem de ir buscar o pão para a família e os amigos. Não consigo imaginá-lo nas ruas da vila com um taleigo às flores. Uma prenda de aniversário para quem se preocupa com as questões ambientais.

Tempo para agradecer I

Tempo para agradecer I Tempo para agradecer I Tempo para agradecer I Tempo para agradecer I É para a minha mãe. Para agradecer os quilos de retalhos que mandou pelo correio à sua neta, porque um dia leu este e . No meio de tantos retalhos, uns muitos antigos e já cortados, prontos para serem agrupados certamente para fazer um patchwork. É para a minha mãe. Um taleigo. Porque é o que ela mais aprecia e dá uso. Um taleigo. Bem grande. Com muitas flores e passarinhos pelo meio. Tal qual o seu jardim. É para a minha mãe!

Uma boa lição

Une inspiration de Degas Numa exposição oral, na aula de português sobre uma pessoa famosa, uma colega de turma apresentou o Edgar Degas. A apresentação deve ter sido muito interessante porque cativou a Ju. Quando vestiu a roupa nesta manhã, encenou a fotografia que acabei por tirar a pedido dela. Ao analisar a imagem, ela explica a importância de alguns detalhes. O dorsal, o vestido, o corpo sentado sobre o pano é o prolongamento dum pensamento sobre as bailarinas do Degas. É uma aula que ela nunca vai esquecer!