O serviço de café

O serviço de café O serviço de café O serviço de café Inaugurámos o serviço de café, com pompa e umas gotas de medronho, como vem a ser hábito ao Domingo, quando temos amigos por perto. O serviço de chá vinha embrulhado em papel jornal dos anos 70. O serviço de café ainda estava na sua caixa de origem. Enquanto houver espaço em casa, vou guardá-la! O serviço de café

O que a barragem submergiu

O que a barragem submergiu O que a barragem submergiu O que a barragem submergiu O que a barragem submergiu O que a barragem submergiu Com os níveis de água tão baixos da barragem, vieram de novo à superfície as antigas comportas que separavam a ribeira do Chança das águas contaminadas pelo enxofre, pelo cobre e outros metais da Mina de S. Domingos. Fascinam-me estas novas texturas que aparecem no ferro, na madeira e nos tijolos, provocadas pela submersão nas águas que hoje se revelam novamente à luz do dia. Reencontrei o lugar onde antigamente vinha nadar, o que vem dar credibilidade às histórias que contava às minhas filhas.

Coisas dos Tempos que já lá vão

Coisas dos Tempos que já lá vão Coisas dos Tempos que já lá vão Coisas dos Tempos que já lá vão Gosto de tudo um pouco, mas há lugares, coisas que mexem mais comigo. Gosto de histórias, gosto da palavra "passado", porque sem ela não seria nada. Gosto mais ainda do passado projectado no futuro. Porque é possível recriar, conciliando, conjugando. Do sotão da mercearia do Senhor Gomes trouxe um serviço de chá e um serviço de café (que mostrarei mais tarde) da antiga Fábrica de Loiça de Sacavém. Das minhas gavetas, seleccionei tecidos e materiais de outros tempos que já lá vão e que vou proximamente aprender a conjugar porque é possível, com poucos recursos, elaborar e criar diversas peças, mesmo sendo elas taleigos, bolsas, estojos ou outros. É, com esta paleta de tons que imagino vestir o meu Outono!

Do Alentejo

Do Alentejo Do Alentejo Do Alentejo Não houve protestos marcados em nenhuma cidade alentejana, no sábado passado. Para não perder as manifestações que se realizaram nos outros distritos, fui seguindo através do Instagram as fotografias da Clicklight. O que não nos impediu de passar momentos muito bons entre amigos, plenamente solidários com os manifestantes. Foram apadrinhados um casal de dalmatas, abandonados e entregues no canil municipal. Bowie e Velvet, não me parece, como nomes, nada mau!

Um estojo para a mochila

Um estojo para a mochila Um estojo para a mochila Um estojo para a mochila A apresentação, no 1º dia de escola, correu sem sobressaltos apesar de alguns dados divulgados. Vamos viver, no próximo ano lectivo, com outras realidades: menos 3,3% de alunos, menos 13,1% de professores em relação ao ano anterior. Para onde vai esta "Educação Nacional"... Alegra-me ainda elas estarem numa escola com um número reduzido de alunos por turma. Viver longe do rebuliço e da massificação das cidades, tem as suas vantagens! Gosto, por esta altura, de fazer uns estojos para guardar os lápis e canetas. 2 deles estão disponíveis na loja.