A tosquia do sr. Francisco

A tosquia do sr. Francisco
A tosquia do sr. Francisco
A tosquia do sr. Francisco
A tosquia do sr. Francisco

Os rebanhos do Baixo Alentejo são muito grandes, atingem facilmente 1000-2000 cabeças.
É difícil encontrar uma pessoa como o sr. Francisco. Tem 35 ovelhas. Pastam o que ele semeia. Tem amor pelos seus animais.
Enquanto as outras ovelhas já foram tosquiadas há já largas semanas, na segunda-feira, com a vinda do bom tempo, ele iniciava a tosquia com a tesoura. Faz uma média de 6 ovelhas por dia.

Para ir ter com ele, abri e fechei não sei quantas cancelas por caminhos sinuosos e uma paisagem de cortar a respiração. Ao longe avista-se Beja e Serpa, o Pulo do Lobo está a 2 passos.

Foi no silêncio do montado que ouvi a tesoura passar na lã, numa doce cadência, e ver despir o manto do animal numa só peça.

A tosquia do sr. Francisco
A tosquia do sr. Francisco
A tosquia do sr. Francisco

14 comments on “A tosquia do sr. Francisco

      1. Teresa

        Vou fazer uma oficina sobre o tratamento da lã desde a tosquia e depois estas informações, sobre onde arranjar lã, vão-me ser muito úteis! Obrigada!

        Reply
  1. catarina clemente

    Estou rendida às tuas reportagens. Que privilégio, teres acesso a estes episódios cada vez mais “fora de tempo”. E que sorte a nossa, por partilhares…

    Reply
    1. mamanxuxudidi

      É a minha curiosidade pelo ambiente que me força a empurrar cancelas e descobrir um outro universo. Prefiria dizer que há lugares e pessoas verdadeiramente isoladas neste contexto do “fora de tempo”. São outras realidades, longe das cidades mas em Portugal! Bem hajas:)

      Reply
  2. Maria Helena Pires

    Meu avô foi pastor em Portugal.
    Vendo e ouvindo a tosquia, pelo seu vídeo, a unica coisa que eu consegui fazer foi chorar.
    Chorar de saudade. Saudades de antepassados e de terras que não conheci.
    Obrigada.

    Reply
  3. Carolina

    Sei que é bonito e importante preservar certas tradições, no entanto por o que fiquei a saber (pelo post da Rosa Pomar) as máquinas estão a substituir as tesouras na tosquia das ovelhas. Não se deve generalizar no entanto nunca fiando, fico mais descansada por isso. Pois já vi coisas horríveis vindas das tosquias com tesouras. Para acrescentar, o facto de nos importarmos em saber bem de onde vem a lã que comprarmos ao invés de só nos preocuparmos com as marcas é essencial! Por detrás de uma grande marca podem estar coisas macabras como as que já vi, por exemplo, nas tosquias.

    Reply
    1. mamanxuxudidi

      Não sei o que queres dizer quando falas de “coisas macabras”. Parto, por isso, do princípio que pode eventualmente haver cortes no corpo do animal. Os cortes existem tanto na tesoura como na tosquia mecanizada. Existem de facto, pessoas com mais cuidados, outros nem tanto. Sabias que é preciso uma licencia para tosquiar uma ovelha? Portanto não está ao alcance de qualquer pessoa.
      Do meu testemunho publicado em posts anteriores, interessa-me mais os movimentos, a rotação dos cortes na lã, pequenos detalhes nos nós quando são dados, o convivio entre os homens…
      Nunca fotografei um rebanho de 1000 ou mais ovelhas. Sei que há pessoas que os têm porque causa dos subsídios, que os animais não são tão bem tratados, porque também vejo, e que talvez estes não estariam interessados em me deixar fotografar uma tosquia em grande escala. É um desfio!

      Reply
  4. theflyingfleece

    Realmente fotos muito bonitas, mas sobretudo um velo realmente bem feito! Gostei muito de ver o video também – parabéns pelo óptimo post!

    Este ano era suposto assisitir pela primeira vez à tosquia em Trás-os-Montes, mas o tempo estragou-nos os planos… É pena porque é a única coisa que me falta apreender para ir da ovelha à camisola. Talvez qualquer dia.

    Reply

Deixar uma resposta