A Cavalariça

A cavalariça
A cavalariça
A cavalariça
A cavalariça

O post da Sílvia motivou-me. Não gosto muito de mostrar a minha casa e por mais incrível, nem a imagino fotografada e publicada em revistas de decoração.
O espaço que habito é muito pessoal, tal como os livros nas estantes duma biblioteca.
Mas reconheço, após mails trocados com ela, que posso partilhar algumas ideias que me passaram pela cabeça aquando da restauração da cavalariça.

A cavalariça é uma casa separada do resto da outra casa.
Remodulou-se em sala de estar ou salão como preferirem.
Hoje, tem uma mezzanine (no Alentejo diz-se sobrado) e por baixo, uma casa de banho de apoio.
Para poupar na eléctricidade e como não há janelas naquele cubículo, optei por restaurar uma porta de vidro. Coloquei um cortinado com rendas feitas pelas senhoras da Beira Alta, tal como na outra casa de banho da casa principal.
A ideia de não carregar no interruptor, de cada vez que é preciso là entrar, é uma victória (pensem nisso)!

Para aquecer o espaço que acaba por ser bastante generoso, recorri a uma salamandra. Como o pé direito é alto (a cavalariça funciona sobre uma simples inclinação a nivel do tecto) ganho em aquecimento, com o melhor rendimento possível. Controlo facilmente a intensidade das brasas e vou poupando na lenha.

Num dos cantos da cavalariça vou colocar estas cerâmicas eléctricas, com intervalos regulares, tanto na altura com na largura e farão a vez de bengaleiro.
Mantive os materiais tradicionais da região, os tectos de caniços e a tijoleira artesanal de Santa Catarina.

De resto, como o espaço é relativamente novo, precisamos de habitá-lo para lhe dar vida. A nossa vivência e as nossas recordações serão a melhor decoração do espaço existente.

0 comments on “A Cavalariça

  1. Sílvia Silva

    Obrigada Diane, por falares um pouco da tua casa e das boas opções que fizeste, bem como me referires como motivação. Tenho a certeza que esta tua visão sobre a casa e sobre a utilização de técnicas e peças tão portuguesas servirá de inspiração a muito gente!

    Reply
  2. Inês Nogueira

    boa, diane! que bom partilhares. tudo lindo. fiquei com vontade de transformar várias portas cá de casa em portas de vidro. a cortina é fabulosa. bjs.

    Reply
  3. Ana Paula Lopes

    Obrigada por mostrar ideias simples e funcionais, adorei tudo e gosto muito como lida/enfrenta diarimente com o que a vida lhe dá.
    Gostei muito d’ um post anterior do que falou sobre a disléxia da filhota, eu também sou! e tardiamente descobri que o meu filho tb é, eu não tive qualquer acompanhamento para superar este problema, e por isso procurei uma boa terapia para o meu filho o qual está a dar frutos positivos.
    Desculpe o desabafo mas já alguns meses que a “sigo” e gosto muito do que vejo.
    Um abraço e tudo de bom.
    Ana Paula Lopes

    Reply

Deixar uma resposta