Um lugar muito feminino

Um lugar muito feminino Um lugar muito feminino Um lugar muito feminino Um lugar muito feminino Um lugar muito feminino Aprendi este fim de semana a abrir cancelas. Reencontro a liberdade de poder caminhar livremente. Atravesso os campos, cruzo-me com vacas, ovelhas e deparo-me com um lavadoiro. O lavadoiro da minha aldeia. Voltei lá no dia seguinte, trazia comigo testemunhos, histórias de mulheres, muitas, jovens e outras não tanto, carregando alguidares de zinco de roupas por lavar. Havia filas. Demorava-se neste lugar. Enquanto a roupa enxugava nas pedras quentes ou estendidas na corda, elas falavam, cantavam. Os burros acompanhavam às idas, transportando, no regresso, àgua do poço. Um bem tão precioso. O lavadoiro daqui em nada se compara com os do Norte. Não há tanque. Dá-se à manivela, a água jorra na torneira que enche o alguidar vezes sem conta, necessárias para uma roupa bem lavada. Hoje, ninguém passa por là. Recuada da aldeia, muito para baixo, ao pé dum barranco. Fechei a cancela, voltei para a aldeia que cheira a roupa lavada. Roupas estendidas nas ruas, às portas das casas. Read More

Sabiam?

Golegã Hoje Algumas vezes interrogo-me sobre o perfil da pessoa que espreita o meu blog, uma média de 600 por dia. Na verdade, nem a metade lê um post e os comentários são poucos. Sabiam que no Flickr, onde gosto de publicar as minhas fotografias, o rabo do cavalo é a preferida e que a fotografia mais vista até hoje é esta e a mais comentada aquela? A mais equilibrada entre todas (no critério das preferências e comentários) é onde apareçam as minhas mãos tricotando. Estava uma manhã fria! De resto, tanto no Flickr como no blog, há uma grande preferência pelas fotos cujo tema gira à volta da lã. No flickr é o tricot; no blog, Pela Fresca. O post mais consultado no dia da sua publicação... preferia não lembrar! Read More

Inspirador

Inspirador Inspirador Inspirador Num dos meus passeios pelas margens do Guadiana encontrei inspiração para juntar texturas e tonalidades numa nova mini bolsa. Um fio de seda oferecido pela Joana e uma camisa de seda natural da Mutti (avó), completam a composição. Não escolho o caminho mais fácil para a sua realização, mas gosto de desafios!

Rodrigo

Rodrigo Rodrigo Rodrigo Colhemos flores na borda do caminho. Uma manifestação de quanto estamos felizes por estar outra vez todos juntos. Rodrigo, o meio-irmão, o meu enteado. Há mais de 5 anos que não vinha e 5 anos é muito na vida duma família, na cabeça duma criança, logo, as 3 crianças. A nossa semana mexe com o passado. Recordação dos desenhos dos primeiros anos de escola quando pediam um retrato da família. Erámos 6. Está quase de partida!

Reciclar ganga II

Reciclar ganga II Reciclar ganga II Reciclar ganga II Reciclar ganga II Coisa que não gosto, é de ver gangas rasgadas, com pequenos buracos, linhas a se desfazerem... Com o que sobrou da saia, fiz uns pequenos remendos em forma de coração (é coisa que gosto!). Adoptei a excelente técnica da Rosa para uns tantos outros remendos nos joelhos (assim salvei 3 pares de gangas!). Mas há calças de ganga que definitivamente não podem ser mais usadas. Não deito nada fora. Guardei o comprimento das pernas para um próximo post mas com o bolso traseiro e a costura lateral típica nestas calças, fiz duas "têtes de nègres". Pegar ou largar!