Franz, mon petit frère

Franz Franz Je ne parle jamais de lui. La dernière fois que nous nous sommes embrassés c'était cet été là. Depuis, il me suit en silence à travers les posts que je publie. Aujourd'hui, nous parlons deux langues complètement étrangères mais en regardant mes photographies, il me comprend. Nos vies suivent des parcours si différents, si loin d'imaginer, quand nous étions petits que ce serait un jour ainsi. Franz, mon petit frère. Joyeux Anniversaire! Nunca falo dele. A última vez que nos abraçámos foi nesse Verão. Desde então segue-me em silêncio através dos posts que vou publicando. Hoje, falamos duas linguas completamente estranhas mas olhando para as minhas fotografias, ele entende-me. As nossas vidas seguem percursos tão diferentes, tão longe de imaginar que quando éramos pequenos seria um dia assim. Franz, o meu irmão. Feliz Aniversário!

Um Adeus muito Português

Um Adeus muito Português Um Adeus muito Português Um Adeus muito Português Não será por falta de vontade em fazer mantas, mas tive muita dificuldade em me decidir cortar estes retalhos de fazenda de lã, 100% lã, 100% português, porque não voltarei a encontrá-las no mercado. As fábricas há muito fecharam e aquelas que persistem, investem em outros tipos de materiais que pouco têm a ver comigo. A Nazaré e os tecidos escossêses, é o último reduto. Até quando? A manta fez-se porque os invernos são rigorosos para um país cujas casas não chegam a aquecer. Com a subida das taxas da electricidade, do gás, penso que a lã e as mantas voltarão em força. Dei-lhe o nome de "Um Adeus muito Português" porque habituei-me a ver, o que Portugal tinha de melhor, a desaparecer face à globalização e ao desprezo do que é nosso! Tem as cores de Portugal para nunca esquecer a sua origem. *para mais informações, podem contactar-me.

Amor com Amor se paga

Amor com Amor se paga Presépios Amor com Amor se paga Presépios Gosto de passar pela biblioteca da escola. Para além das actividades ou mostras relacionadas com os livros, também há pequenas exposições dos trabalhos desenvolvidos pelos os alunos, seja no Club das Artes ou seja nas actividades lectivas de Educação Visual e Tecnológicas. Os presépios estão à venda e não resisti aos trabalhos feitos em cerâmica. Não é linda a vaca malhada? Pelo correio chegam cartas, mimos, palavras animadoras. Acho que uma das minhas resoluções para o próximo ano é aprender a fazer crochet. Mais uma vez Bem Hajam Joana e Joana!

Uma semana a correr

Uma semana a correr Uma semana a correr Uma semana a correr O fim desta semana, marca o princípio das férias escolares. Depois, tudo irá muito depressa. Uma viagem ao Norte para matar saudades e o regresso para, com os avós, festejar um Natal alentejano. Entretanto, ainda me falta enviar uma encomenda para o Brasil, pendurar uma manta antiga tecida no tear (um verdadeira achado na feira de velharias de Vila Real de Santo António), para isolar uma porta virada a Norte. Acabar não só as muitas perneiras para as muitas mulheres da casa, como ainda tricotar, com os restos das lãs que se acumulam no cesto, uma nova manta. Tudo se aproveita!

Um quadro vivo

Um quadro vivo Um quadro vivo Um quadro vivo Tenho, na sala de jantar, uma parede muito grande e branca. Sobre ela, coloquei uma flanela e dispus os retalhos de fazenda de lã, um pouco aleatóriamente para saborear a côr e as formas enquanto habitamos o espaço. Um verdadeiro quadro vivo que foi alterando conforme a inspiração das miúdas ou de quem por aí passou. Houve um pouco de tudo, o xadrez formou flores e tive durante algum tempo um Pai Natal criado por duas irmãs, Ana e Matilde, amigas das nossas filhas. Reagrupei os retalhos e decidi pôr mãos à obra.