Os vizinhos

Os vizinhos
Os vizinhos
Os vizinhos

De norte a sul do país, a noção de vizinhança ganha formas diferentes e mesmo se nos dias de hoje há uma tendência para uma uniformidade da palavra, temos a rica sorte de ter bons vizinhos.
Estou ladeada de casas. A da direita é compartilhada por 3 irmãos, uma casa de férias em suma. A Dona Augusta e o Sr. Vitorino abriram-me a porta sobre este pequeno universo, simples, acolhedor. Sentados nos degraus da cozinha, trocam-se palavras duma vida que não fora tão fácil.
A casa da esquerda é duma senhora sem idade, com histórias por contar. Uma mulher alegre com um coração cansado. Bi Júlia entrou na nossa vida, também pela mão das nossas filhas. Na gaveta das recordações, tirou de lá um caderno e clamou estes versos:

Os vizinhos

Antigamente

Morávamos na mesma rua
Era a segunda família
Estava a dois passos
A minha casa da sua
Vizinhos era o seu nome
Amigos e solidários
Prontos a socorrer
Ajudar seu irmão
Que não queriam
Ver sofrer
Havia cumplicidade
Mãos dadas na dificuldade
Braços abertos
Para receber
Ombro amigo
Para chorar

Onde estará
Quem disto
Não recordará?

Havia partilha
do bem e do mal
Partilhava-se
a fome
Também a fartura
Dividiam-se as lágrimas
Como as alegrias
Avisava-se o vizinho
Se alguém saía
À porta não se batia
Entrava-se
Como se casa
fosse sua

éramos vizinhos e… morávamos na mesma rua.

Agora

Somos vizinhos
Moramos na mesma rua
está a dois passos
a minha casa da sua
vivemos ausentes
se algo acontece
não estamos
presentes
alguém adoeceu?
Não vai ser nada
Cada qual
Com o que é seu
Bate-se à porta
Para entrar
Onde mora
O ombro amigo
Para chorar?
A mão estendida
Para socorrer?
Quem se preocupa
Com o nosso sofrer?
Com o vizinho
Do passado
Que morava ao lado
Hoje nada tem a ver
Tudo mudou
No nosso viver
Cada um
Vive na sua
e… moramos na mesma rua.

Bi Júlia, 2009

Consegues retratar-me os teus vizinhos?
Também são bons vizinhos?

0 comments on “Os vizinhos

  1. Sara Carvalho

    Palmas para a Júlia, era mesmo assim. Antigamente conhecia todas as pessoas da minha rua e bairro, entrava sem bater. Mudei-me há um ano para um prédio e não conheço ninguém… Paciência. Bjos

    Reply
  2. Tiphaine

    E uma das razoes que gosto tanto de portugal. Na minha aldeia, toda gente nos conhecem…..gosto desse apoio que agora e tao raro…..mas a Bi Julia tem tanta razao…essa amizade, essa vizinhanca esta a ficar cada vez mais rara…bjs daqui !

    Reply

Deixar uma resposta