Capa e Manta do Pastor

Capa e Manta do Pastor
Capa e Manta do Pastor
Capa e Manta do Pastor

Os pastores dormiram ao relento. Noite chuvosa. No intenso nevoeiro, na total obscuridade, voltei a encontrar os rebanhos onde na vespera os tinha deixado. Se não fosse uma lanterna para assinalar as suas presenças e isto às 5 da manhã, não teria dado com eles. Com a minha chegada é o despertar dos pastores. Todos envoltos em mantas de lã.
Miguel, o maioral, está aninhado no meio das ervas altas coberto pela capa de burel. A capucha profunda não deixa penetrar aragem, nem humidade. A capa comprida tapa totalmente o corpo, em posição fetal.
Sinto-me rodeada de vultos. Não demoraram em despertar as ovelhas que adivinham já o regresso. Conhecem o caminho mas na frente, seguem três pastores.
Por cima do corpo, as mantas foram dobradas aos 3/4 e na dobra, passaram um cordel. Transformaram-se repentinamente em capas.

Ao longo da descida, paira no ar um perfume a lã molhada. A capa chega a pesar 50 kilos, quando ensopada com a chuva, mas continua a ser o manto preferido do pastor.

Já perto das povoações, as pessoas espantam-se com o regresso antecipado.
O Pedro diz que o “repertório” (Borda d’Água) não engana.
Setembro anuncia-se chuvoso.
Lá no cimo da serra, geou demasiadas vezes e as ovelhas, entretanto prenhas, estranham. É tempo de descer da Serra da Estrela, apartar as ovelhas e regressar a casa!

Capa e Manta do Pastor
Capa e Manta do Pastor
Capa e Manta do Pastor
Capa e Manta do Pastor

0 comments on “Capa e Manta do Pastor

  1. ana v

    O dia acordou chuvoso e com nevoeiro. Saí do Sabugueiro, em direcção a Vide e fui explorando a serra até Piodão. Onde andavam vocês?

    As fotos estão fantásticas.

    Reply

Deixar uma resposta