Ursli

Ursli
Ursli
Ursli

São dois lindos livros (falta um para a minha colecção estar completa!) vindos dum pequeno país onde as tradições se mantêm muito vivas, as quais se integram naturalmente no ecosistema e na economia nacional.
Com palavras simples e poéticas, Selina Chӧnz descreve o quotidiano de dois irmãos, Ursli e Flurina, numa região recuada da Suíça, a Engadine onde se fala a quarta lingua nacional do país, o romanche.

Na Une Cloche pour Ursli as calendas de Março ecoam, vindas da montanha pela mão do jovem Ursli, assim como o fazem todas as crianças nesta altura do ano, tocando os enormes sinos (que as vacas costumam usar) para afastar o Inverno e cantam, para anunciar a chegada da Primavera.
Para as minhas filhas e para todos em geral, poderíamos achar isto de puro folclore, mas é tão real como demonstra este video sobre a transumância dos bovinos no fim da Primavera, acompanhados de pastores e familiares, para as pastagens mais abundantes da serra, onde se continua a confeccionar o queijo.

La Grande Neige é sobretudo a montanha, a queda de neve, os majestuosos pinheiros, as primeiras avalanches, a força da natureza, o frio, o calor duma festa, o ânimo dos jovens, a festa dos trenós. As magníficas ilustrações são do pintor Aloϊs Carigiet.
Recomando vivamente!

Há mais sobre tradições suiças aqui.

Une Cloche pour Ursli
de Selina Chӧnz
Ilustrações de Aloϊs Carigiet
Edition Orell Füssli, Zürich 1983

La Grande Neige
de Selina Chӧnz
Ilustrações de Aloϊs Carigiet
Edition Orell Füssli, Zürich 1996

Ursli
Ursli

0 comments on “Ursli

  1. Tânia Alexandre

    No Jura (já fica na parte francesa, mas ainda assim, muito perto de Geneve) já tive a felicidade de acompanhar parte desse percurso dos bovinos! Compreendem-se essas tradições num país com um clima tão mais frio, em que a chegada prometida do sol é realmente para se comemorar! E, sobretudo, o facto de não haver vergonha relativamente a essas tradições ajuda! Nós, infelizmente, temos muita vergonha de algumas das nossas coisas, eu cá não consigo compreender como tartamos tão mal do nosso património… Enfim!
    Para o ano gostaria de tricotar convosco nessa aldeia verdinha! Bem-haja pela partilha dos livros que são lindos!

    Reply
  2. Capucine

    Je suis très émue de ton blog , je connais et j’adore cette merveilleuse région de la Suisse , j’y ai de merveilleux souvenirs d’enfance et aussi de jeune Maman

    Je t’embrasse Diane

    Reply

Deixar uma resposta