A magia dos livros

A magia dos livros
A magia dos livros
A magia dos livros

Há dias, tive de remover do lugar um antigo louceiro.
Este móvel, que fora trazido por um trisavô de barco, rio Mondego acima, até ao Porto da Raiva e de carro de bois até a aldeia, há já muitas décadas que guardava documentos, livros e fotos, tendo como principal função de arquivo.
No meio de tanta papelada, descobri Os Lusiadas de Luiz de Camões numa “nova edição” da Livraria Chardron, Lello & Irmão, editores. O pequeno livro não tem impressa uma data, somente na contra capa umas notas e datas do bisavô Sebastião.

Já é sabido o meu gosto pelos livros. Deveria no entanto acrescentar o prazer que tenho em ler dedicatórias, notas, sublinhados… são histórias que vão nascendo em paralelos à história escrita. Um livro dentro do livro.
Não é fascinante pensar porque aquele/a sublinhou tal frase, quando acho mais relevante sublinhar o paragrafo seguinte?

As minhas mãos foram folheando as páginas do livro até que na última página, o bisavô anotou, com bastante emoção, o nascimento da sua primeira neta.
Partilhando a descoberta com a tia das miúdas (a neta em questão) ficou a saber-se, após tantos anos, que nascera às 11 horas da noite.

É a magia dos livros.

A magia dos livros

0 comments on “A magia dos livros

  1. vera

    Os livros contam também as histórias de quem os leu, nÃo é ?
    eu sempre gostei de sublinhar, marcar as páginas, escrever a data em que os li etc e depois adoro reeencontrar essas notas e por vezes verificar que afinal há trechos que já não me “falam” da mesma maneira, que nem percebo porque que é que sublinhei determinada frase. E perceber em que é que mudei e porque é que mudei.

    Reply
  2. Virgínia

    e nasceu no mesmo dia que eu :)
    sim, dos livros que encontro, o que guardo com mais carinho são as histórias que lá foram ficando, dentro da história. Por vezes, até fotografias trazem, esquecidas no tempo.

    Beijinhos a todos, com saudades*

    Reply

Deixar uma resposta