Lã, neve, cobre e enxofre

Passado e presente
Lã, neve, cobre e enxofre
Passado e presente

A primeira vez que ouvi falar de Ferreira de Castro, foi em Dezembro quando a Rosa me mostrou uma edição já antiga de A Lã e a Neve.
Com uma nova edição debaixo do braço, levei o livro para o Baixo Alentejo. Tinha então, o ceú azul e as ruínas industriais da Mina de S. Domingos como poiso para as minhas leituras de fim de tarde.
O efeito foi explosivo!
Desfrutando de paredes de taipa, próprias do Alentejo, senti-me literalmente projectada numa Serra que há nove anos não largo.
Vivi de repente na pele aquelas fachadas de granito, a escuridão da pedra, o frio das madrugadas, o rebanho do Tóino da minha aldeia.
Descobri novas palavras, caídas em desuso, mas lindas ao serem pronunciadas. Citando Almada-Negreiros Nós não somos do século d’inventar as palavras. As palavras já foram inventadas. Nós somos do século d’inventar outra vez as palavras que já foram inventadas.
Fui, seguindo a ambição dum simples pastor, sem posses, aprendendo com ele a rude vida da Serra, do rebanho, da industria de lanifícios, da luta e sobrevivência dum povo, das classes operárias durante o período da Segunda Grande Guerra. Período esse conturbado, com racionamentos e falta de tudo o que era essencial.
Poderia agora apagar a palavra lã e substituí-la pela palavra cobre ou enxofre, para sentir os apertos, as condições miseráveis que também se viveram na mina.
Graças à Rosa, tenho vindo a descobrir o mundo da lã. Os melhores exemplos estão aqui, aqui e ainda aqui.
Resta-me ainda atravessar a Serra e descer até à Covilhã, penetrar no mundo do “Horácio” de Ferreira de Castro, mergulhar nas ruas da cidade, deixar-me impregnar por estas atmosferas. Acho que está na altura de visitar o Museu de Lanifícios.

A Lã e a Neve
Obras Completas
de Ferreira de Castro
Guimarães
Edição Babel, 2010

0 comments on “Lã, neve, cobre e enxofre

  1. marta

    Olá Diane,
    Achei deliciosa a frase do Almada Negreiros. Podes dizer-me onde está publicada por favor?
    Um abraço de bom ano novo!

    Reply
  2. Pingback: A pequena história « XuXudidi et plus encore

Deixar uma resposta