O melhor para ela

Em véperas de provas de aferição em que as irmãs estão brindadas este ano, penso na J. porque para o ano, será a vez dela.

Ela fez imensos progressos e mesmo se está mais que confirmada a dislexia, continuo a achar que teve muita sorte em estar integrada numa pequena escola com um número reduzido de alunos na turma dela. Pergunto-me muitas vezes, o que seria dela numa escola dentro da cidade, com mais de 20 alunos por turma!
É uma pena que não haja perto de casa o Movimento da Escola Moderna. Seria sem dúvida o mais adequado para ela. Vale a pena seguir esta reportagem que ilustra as diferenças entre 3 modelos de ensino em Portugal.

Não vou desistir do projecto, de num dia próximo, abandonar a medicação. A Zélia ofereceu-me estas duas esferas feitas em crochet. Redescobri os benefícios de massajar o corpo duma criança e o poder de relaxar, acalmar e concentrar.

Ando à procura dum livro para ela, porque como qualquer criança disléxica ela tem relutância em querer ler o que atrasa a sua aprendizagem.
Teria de ser um livro muito apelativo ao nível da escrita em que uma palavra puxaria outra palavra e sem se dar conta, já estaria envolta na história.
Sugestões são bem vindas!

4 comments on “O melhor para ela

  1. Anonymous

    olà Diane,quando voltar a Paris, visite a livraria " le dragon savant " á la Villette, demandez á céline dézélée um conselho de leitura para a sua filha, penso que não ficará desiludida, ela é excelente – é um pouco a pippi das meias altas em adulta – e a sua livraria é magnifica

    Reply
  2. maman xuxudidi

    Anónima, penso que numa primeira fase a J. precisa de ler em português, já que frequenta a escola portuguesa. Mas tomo nota do endereço e da próxima vez passarei là. Era, há pouco anos, um lugar bastante simpático:)

    Reply
  3. Ana

    Olá, tenho uma filha hoje com 19 anos e quando crianças também foi diagnosticado a dislexia, tinha os mesmos receios e medos em relação a leitura e a escrita, estudou em uma escola no Brasil com proposta construtivista e teve acompanhamento de uma psicopedagoga e de uma fono. Aos poucos ganhou confiança e hoje é uma “devoradora” de livros, adora escrever poesias e histórias, aqui em Portugal tivemos muita sorte na escola para onde ela veio estudar (aos 12 anos) com alguns professores carinhosos e dedicados. Desejo a sua filha tudo de bom e confiança sempre!
    Beijinhos
    Ana Melo

    Reply
  4. Silvina Nabais

    Olá, eu sou a Sil.
    Gostava muito de saber o contacto do Professor Alves da Silva e o local onde faz a correcção das lentes prismáticas no Porto.
    Tb sou dislexica e já fui tratada pelo Prof.Alves da Silva no H. de Stª Maria há mts anos… Hoje tenho 37anos, licenciada no ensino da geografia e tento diáriamente contornar as partidas q a dislexia teima em me pregar. Uso prismas desde os 15 anos, mas gostava de voltar a ser observada. Desde já aqui fica o me Bem-haja.

    Reply

Deixar uma resposta