A sementeira

São 8 da manhã de domingo e apesar da chuva, paira no ar o cheiro à churrascada. Quando me vou aproximando, deparo com febras, entremeadas e frangos assados. Nas longas mesas, não se vê uma mulher, a gente rude do campo come a bucha matinal acompagnado dum tintol.
Fui à feira procurar o que as geadas deste Inverno queimaram.

A couve foi plantada, as batatas e as cenouras foram semeadas. O alho está lindo!
Falta-me plantar o que ontem adquiri na feira, outras serão semeadas mais tarde porque até à “porca de Abril”* pode ainda vir uma forte geada.

* Na gíria popular local, significa a última lua cheia de Abril.

Deixar uma resposta