Teatro dum carnaval anunciado (IV)

Teria sido injusto se os pais não entrassem na paródia.
Hoje à noite, festeja-se o entrudo na aldeia. Desafiando o frio, cada qual aparecerá disfarçado.
Vou assim de burro, também feito em papier maché, embora a técnica seja diferente porque tem uma base feita de pequenos arames.
A máscara foi feita há três anos, colando um a um pedaços de trapilhos para imitar a pele do burro.
Adereços? Nada melhor que uma boa capa alentejana e umas luvas!

Bom carnaval!

As fotografias são da autoria da minha querida filha M.

Deixar uma resposta