Teatro dum carnaval anunciado (I)

Sem desperdiçar material, usando o que a casa tem, decidimos há um mês atrás de criar as nossas máscaras. Nada de pinturas facias!
Com os jornais lidos, a cola branca e os balões de festas anteriores criamos uns rostos que ao longo dos vários fins-de-semana foram evoluindo para, nos próximos dias, serem exibidos.

Hoje a C. revela um novo rosto, o de um ribatejano, propietário e criador de cavalos.
Tem as polainas postas, roupas a condizer, o chapéu do bisavô Charles e a vara para mandar no cavalo.

Deixar uma resposta