Culinária do Minho

Antes de prosseguir, queria agardecer os numerosos comentários relativos ao post anterior.
Penso que a melhor forma de nos conhecermos é através da imagem que os outros vêm de nos próprios, no espelho.

Também gosto de ler. Não leio tanto como eu gostaria, mas não me queixo. Todos os dias, leio capítulos que a M. vai escrevendo; praticamente todos os dias leio uma história para elas antes de se deitarem; tento ler todas as noites as 3 primeiras páginas do próximo capítulo dum livro qualquer.
Mas livros há muitos e também gosto de pegar em livros culinários, sobretudo como este, do Alfredo Saramago, onde faz uma introdução à história da alimentação no Minho com receitas interessantes. “Falar das características que deram uma identidade ao Minho é falar da sua história, povoamento, agricultura, usos e costumes. É falar de uma terra mágica, uma terra que sempre foi fecunda para plantas, animais e homens. Esperamos poder continuar a celebrar a alimentação do Minho, porque uma cozinha, no dizer de Braudel, pode evocar uma civilização inteira.”

Hoje ao almoço confeccionou-se filetes de polvo com arroz de netos, que são os segundos rebentos de uma couve que vieram da horta.

Antes de fechar o livro quero elogiar o grafismo e as lindas fotografias da autoria da Inês Gonçalves.

Cozinha do Minho
Alfredo Saramago
Fotografias de Inês Gonçalves
Assírio & Alvim, 2000

Deixar uma resposta