O lavadoiro

Gosto do meu lavadoiro.
Todas as casas da povoação têm o que hoje chamam de tanque de àgua. Parecem-se mais com um depósito, um enorme bloco de cimento.
O da casa persiste no tempo e é de granito.
Gostava de encontrar nas fotografias de chapa a vida que se fez à volta dele. Aqui lavou-se roupa, muita roupa, lençóis e guardanapos de linho.
Hoje o lavadoiro é um ponto de água onde sabe bem refrescar-se no Verão, onde os gansos deram lindas representaçãoes em sinais de agradecimento.

Finalizei uma encomenda de taleigos. O imenso prazer de os criar acaba por me esgotar e cansar.
É junto do lavadoiro que acumulou a água das últimas chuvas, que descanço a mente e o seu espelho é também fonte de inspiração.
Muito trabalho ainda me espera e uma feira de Natal à qual não quero faltar!

Deixar uma resposta