Ópera para Elas

Gosto também de ópera.
Gosto de ouvi-la no silêncio do dia, bem alto, com a natureza como pano de fundo.
Gosto de recordar os anos vividos em Lisboa, dos meus passeios matinais e silênciosos e ouvir algures, alguém tocar piano ou mais à frente ainda uma voz aquecer as cordas vocais.
Gosto de recordar os meus serões enfiados no Teatro S. Carlos à descoberta de algo que me emocionasse mais ainda.
Hoje, tenho uma pequena discografia e de vez enquando uma das filhas espreita e aventura-se na sonoridade dum destes CDs.
Nem sempre é fácil explicar o enredo, a composição, a época…

A Kalandraka, em parceria com as edições Hipòtesi, publicou entre outros, Turandot de Giacomo Puccini, um drama lírico em 3 actos, baseado no conto homónimo de Carlo Gozzi, numa adaptação de Joan de Déu Prats, traduzido por Elisabete Ramos, Coro e Orquestra del Teatro Comunal dell’Opera di Genova, conduzido por Daniel Oren.

Foi uma maneira diferente de contar uma história, descobrir a ópera mergulhando na lenda de Turandot que assumbrava a China de então. Tentaram, elas também, desvandar as três enigmas…
Elas adoraram!

Deixar uma resposta