As Mulheres da Minha Aldeia

D. Dezolinda

Quero hoje homenagear as mulheres da minha aldeia, pelo silêncio do seu passo, caminhando pelos campos, pelo sorriso contído, timido, dum cruzar de olhares, pelos traços rugosos do rosto que testemunham um passado nem sempre muito fácil, não serão estas mas talvez outras mulheres, que silenciosamente assumiram o fardo penoso da vida.
Ao cruzar-me com elas, por escassos minutos, através de poucas palavras e com a devida atenção, devolvo-lhes um brilho no olhar.

Lindas, são as mulheres da minha aldeia!

Dona Elvira D. Benvinda

Deixar uma resposta