Petiscos de deixar água na boca!



É um pequeno paraíso, no cimo do Monte Calvário.
Em baixo, fica a Vila Praia de Âncora e o imenso mar que se perde no horizonte.
No monte, um pequeno restaurante de uma simplicidade extrema, estende poucas mesas ao sol onde sabe tão bem comer os deliciosos petiscos, verdadeiros bocadillos espanhóis à moda minhota.
É sobre as toalhas de papel que elas costumam desenhar enquanto esperam o prato especialmente elaborado para elas.
Foi uma surpresa, aquando da nossa última visita, saber que D. Maria das Neves e o Sr. Honorato Rocha e Sá guardam religiosamente estes desenhos.
Eles aceitaram o nosso pedido para, no último dia, comermos uma deliciosa caldeirada de peixe.

Recomenda-se!

Restaurante Bar Calvário
Monte do Calvário
4910 Vila Praia de Âncora
Tel: +351 258 911 670

As Azenhas do Rio Neiva

Azenhas

Na margem

A cadeia

Há já alguns anos que não íamos até às azenhas de S. Paio de Antas. Por insistência da J., decidimos fazer uma bela caminhada, agora balizada, junto ao Rio Neiva.
Numa tentativa de pisar os caminhos que dantes as pessoas da terra percorriam, de foles ao ombro, (e quem me dera ver estes documentários!) levando o milho em grão até as azenhas e regressando depois com a sua farinha, tentámos mostrar às nossas filhas a história rural dum Portugal doutros tempos, ainda não muito longínquos.

O descanço

Arrumação

#12 Taleigo

Durante alguns dias vamos estar ausentes, mais perto dos corações minhotos como estes que encontrei ontem, num passeio matinal a volta da Sé da cidade de Viseu, com a minha querida amiga S.
A Emporio abriu portas há dois meses, tem livros, objectos, acessórios que lembram outros tempos.
Lembrei-me da Mary porque nas prateleiras descobri uma rodilha muito grande, lembrei-me da Rute com a colecão de brinquedos e de cadernos escolares e lembrei-me de tanta gente porque a partir da próxima terça-feira, o novo tema do mês será sobre lavores.

Vou agora arrumar botões, alfinetes, linhas, trapos e mais trapos.
Acabei o saco do pão, este taleigo, que pode muito bem albergar muitas outras coisas.
Para mais informações pode entrar em contacto comigo através de xuxudidi arroba gmail ponto com.

Emporio
Rua Silva Gaio, 29
3500-203 Viseu
Tel: +351 961 495 326

Com duas agulhas

Dans le panier



A primeira vez, quando comecei a tricotar esta lã foi para realizar um cache-coeur idealizado para a mais velha das irmãs.
O tempo foi passando e um dia cruzei-me com o livro de la Droguerie, tão falado aqui.

Desmanchei o trabalho já bastante avançado para iniciar um modelo proposto e mais adequado às temperaturas primaveris.
Acho que não gostaria de ter esta lã parada até ao próximo Inverno!

A Ana também aventura-se com a mesma lã!

...

Partilhar 22 rue bis. Faustine apresenta modelos muito inspiradores, da sua autoria e explica a sua realização.

A sesta

O meu primeiro quilt

A sesta sempre teve uma grande importância em casa. A começar pelo Pai que ao longo da vida consagrou bons minutos ao descanço físico e mental.
Há um momento do dia onde a casa respeita esta filosofia da sesta, tanto as crianças como os animais também.
Adoro este momento, silêncioso, onde dou largas a minha imaginação.

De Inverno, tudo se passa dentro das paredes da casa e esta manta foi feita a pensar nos dias de frio para abraçar melhor a somnolência.
O meu primeiro quilt, com os tons que lhe condizem.
É um quadrado de 150cm. Foi alcochoado a mão e adorei. Entendo agora tão bem a Alice, embora dispenso a televisão preferindo ouvir uma boa música. Por ser o primeiro, eu o quiz simples, porque juntar os quadrados requer alguma destreza que com o tempo saberei dominar!

De Verão, a sesta é onde a sombra oferece melhor conforto. Já estou a pensar no próximo, com cores muito mais abertas, na mesma colecção deste taleigo.