Tricotar

O par

Acabei as meias há já algum tempo atrás. Não eram as primeiras.
Há muitos anos, quando eu era uma jovem adolescente e quando a revista francesa “100 Idées” ainda existia, tinha feito uns pares em “Jacquard”.
Mas seguir as instruções da Rosa foi para mim um pequeno desafio em relação a língua portuguesa, como o dia em que tirei a carta de condução, mal eu falava portugês. É o problema de não ter aprendido a lingua portuguesa na escola e a minha escola foi a rua, com muita leitura.

Foi através de outros blogs que descobri o significado de palavras tão simples como “liga” ou “meia”. O próximo desafio será certamente o inglês.
E porque não vivo em grandes centros urbanos, foi com a Zélia que ousei tirar algumas dúvidas.

Work in progress

O primeiro par de meias em língua lusitana tem uns poucos defeitos, mas o pai não se importa porque foi feito com muito amor, carinho e persistência.
O segundo, baseado na mesma forma de montar, (porque ao fim e ao cabo é muito fácil) é diferente no seu ponto. Mas tenho a certeza que será muito engraçado.
Quero a meia muito alta, com muito humor e para ela.

Outra descoberta e surpreendente, foram as agulhas em bambú. É um material nobre, quente, silencioso. Dá harmonia no movimento. Gostaria de dizer que é puro.
Apaxonei-me!

Deixar uma resposta