Perfume

É o último dia de escola.
Para elas é descançar e brincar.
Para mim é uma casa que se enche de sons, de alegrias, de segredos atrás das portas…
E acabar alguns adornos, histórias da minha infância que vou contando enquanto todas juntas enfiamos os cravinhos da india nas laranjas.

Doce perfume que vai se espalhando pela casa porque para mim a laranja é simbolo natalício.

Há muitos muitos anos atrás, muito a norte de França, a minha avó, nessa altura menina, recebia como único presente, uma laranja. Era um fruto exótico nos finais do século XIX. Um verdadeiro luxo.

É preciso explicar que nessa altura não havia grande circulação de bens, de mercadorias, de frutas.

Para estes dias, partilhar Eu sei tudo sobre o Pai Natal porque damos muito importância à poesia e à magia da personagem. Tal como em casa da Rute, a J. já vai advinhando, mas as irmãs cooperam dando razão ao Pai Natal.
Há perguntas deliciosas e respostas sempre à mão, carregadas de poesia. A argumentação faz sorrir até aos mais crescidos.
De Nathalie Delebarre e Aurélie Blanz, da Editorial Presença, 2008.

Deixar uma resposta