O Boneco das Preocupações

Quando fui de manhã espreitar os livros na biblioteca de Tábua, porque a C. me tinha pedido um livro de “Uma Aventura em França” de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada (Ed. Caminho), dei comigo a folhear “As Preocupações do Billy” do Anthony Browne, edição Kalandraka.

Billy

Há dois anos, numa visita escolar do primeiro ciclo às bibliotecas, as minhas filhas descobriram os bonecos das preocupações. À noite, mostraram os seus trofeús e desde então, aquele pequeno boneco tem povoado debaixo das almofadas da casa.
Com um simples palito, elas regularmente criam estas pequenas personagens que vão oferecendo às amigas.
Há pouco tempo, descobri um verdadeiro.

Bonecos das preocupações

Os bonecos das preocupações têm a sua origem na Guatemala. Desde há muitos anos, as crianças guatemaltecas fabricam estes bonecos com bocados de madeira e restos de tecidos e fios.
À noite, à hora de se deitarem, contam uma preocupação a cada um deles e colocam-nos debaixo da almofada.
Desta forma, as crianças acordam na manhã seguinte sem preocupações.
Este costume está agora espalhado por distintas partes do mundo.

E como tinha direito a trazer 3 livros, trouxe comigo, da mesma editora, “O Coelhinho Branco” de Xosé Ballesteros com ilustrações de Óscar Villán.
Gosto particularmente do jogo de palavras à volta da cabra cabrês. Ou será cabra cabressa?
Talvez cabra cabraz ou cabra cabracha?
Ou como diz a formiga rabiga… cabra caprina!

O certo é que à noite, elas adoram ouvir uma história e eu confesso, adoro contá-la.

Deixar uma resposta