Desencantos

Mergulhámos, numa manhã, pelas ruas desertas do Bairro Alto. O bairro cheirava a ressaca. Numa tentativa de mostrar às minhas filhas fragmentos do meu passado… senti-me ultrapassada, procurando alguma estética, encontrando o caos.

Fomos penetrando a cidade de Lisboa, a procura de um pouco de história, explicando o Terramoto de 1755, a reconstrução da Baixa Pombalina, subindo, por fim, Alfama.
Encontramos isto e isto, num misto de surpresa e de tristeza.

Do graffiti, tantas histórias, defendo a sua arte, sim, mas não sobre estas formas, abafando outras artes arquitectónicas.

Descendo devagarinho para o Martim Moniz ainda ouvimos a canção “cheira bem, cheira Lisboa” da Amália Rodrigues que em coro, elas fizeram questão de alterar a canção.

Da boca das crianças sai a verdade!

Deixar uma resposta